6 dicas fundamentais para fazer um currículo atrativo e eficaz

 

Ter um bom currículo (ou curriculum vitae – CV) é um diferencial na hora de conseguir uma vaga de emprego. E para isso não basta ter uma boa formação e experiências relevantes; é preciso saber apresentar-se de forma atrativa, já que o currículo é o documento que deve instigar os recrutadores a conhecerem o profissional pessoalmente.

Por outro lado, um CV mal feito pode eliminar o candidato do processo de imediato. Portanto, elaborar o documento com atenção é um passo fundamental para conseguir uma boa vaga no mercado.

E para isso, o ideal é que você consiga destacar suas qualidades de forma objetiva e sem exageros, demonstrando seus diferenciais para assumir o cargo pretendido.

Agora, veja como fazer isso na prática, seguindo estas 6 dicas fundamentais para a criação de um bom currículo:

1 – Qual o melhor modelo de currículo?

Na hora de fazer ou atualizar seu currículo, muita gente busca, antes, na internet por modelos prontos. Esses modelos são muito úteis para ajudar a fazer um documento conciso com todas as informações que devem constar.

Mas é preciso pensar no melhor modelo de currículo de acordo com a área em que você está interessado em trabalhar. Para algumas especialidades da publicidade ou do design, por exemplo, um portfólio (reunindo suas criações em destaque) pode ser mais importante do que um CV. Outro caso é o de artistas e modelos, que além do currículo, costumam ter composites com seus principais trabalhos.

Então, o ideal é buscar exemplos de currículos que tenham a ver com a sua área de interesse. Use os modelos para se inspirar e decidir a melhor formatação para seu currículo. Mas atenção: evite copiar o que esses modelos trazem escrito. Afinal, você deve personalizar todas as informações e o melhor é utilizar sua própria linguagem para passar uma imagem mais pessoal.

2 – Antes de escrever, analise seus objetivos.

Como você já deve ter percebido, seus objetivos profissionais influenciam na forma de elaborar seu currículo. Então, planeje-se antes de começar a formular o documento:

  • reflita sobre a área em que deseja trabalhar,
  • pesquise sobre as funções do cargo que quer exercer,
  • se já tiver uma empresa em mente, informe-se sobre ela e conheça seus objetivos corporativos,
  • pense sobre o que lhe qualifica para a vaga que deseja.

Agora, se você tiver múltiplos interesses profissionais, o mais indicado é elaborar um CV diferente para cada objetivo de carreira, especificando em cada um deles apenas as experiências e cursos relacionados àquela vaga ou área.

3 – Pare e pense no seu leitor.

Profissionais de Recursos Humanos e outros recrutadores costumam receber frequentemente muitos currículos, principalmente, quando anunciam a abertura de uma vaga. Algumas empresas já estão até adotando sistemas digitais para fazer uma triagem inicial dos currículos recebidos.

Isso quer dizer que você precisa ser bastante objetivo ao escrever. Um currículo de três páginas, em muitos casos, já pode ser considerado longo (a depender da área e do cargo pretendido).

Antes de começar a redigir, pense também nas palavras-chave que você precisa usar. Se o seu leitor for um sistema digital é por essas palavras que ele vai buscar em seu currículo na hora da triagem. Para facilitar, imagine quais palavras um recrutador buscaria no Google se quisesse contratar alguém para a vaga que você deseja.

4 – O que deve (e o que não deve) constar no currículo?

Algumas informações não podem faltar em um bom currículo. Outras informações são dispensáveis. E há aquelas que é melhor evitar. Confira quais são:

DADOS PESSOAIS

 O que deve constar

  • Nome completo;
  • Telefone;
  • E-mail.

O que não deve

  • Número de documentos;
  • Endereços de e-mails que pareçam muito informais (ex.: diz-ai-brother@email…).

Opcional

  • Endereço completo com CEP;
  • Idade;
  • Estado Civil;
  • Perfil em redes sociais (APENAS se sua área de atuação for voltada para isso).

OBJETIVO PROFISSIONAL

O que deve constar

  • Nome da vaga pretendida ou da área de interesse na empresa (ex.: “Assistente Administrativo”).

O que não deve

  • Objetivos genéricos (ex.: “Qualquer departamento” ou “Ajudar a empresa a crescer”).

HISTÓRICO PROFISSIONAL OU EXPERIÊNCIAS RELEVANTES

 O que deve constar

  • Nome das empresas em que trabalhou (experiências dos últimos 5 ou 10 anos, da mais recente para a mais antiga);
  • Cargo exercido em cada uma;
  • Mês/ano de entrada e saída de cada experiência.

O que não deve

  • Descrições longas ou detalhadas demais de cada cargo/empresa;
  • Adjetivos exagerados (ex.: contribuiu brilhantemente para…);
  • Experiência profissionais falsas.

Opcional

  • Breve descrição de projetos em que participou em cada empresa, metas atingidas (citando resultados, números divulgáveis e períodos), etc.

FORMAÇÃO ACADÊMICA

O que deve constar

  • Nomes dos cursos de nível superior, de pós-graduação e especializações, do mais recente ao mais antigo;
  • Mês/ano de início e conclusão de cada curso;
  • Instituição de ensino em que cada um foi realizado.

O que não deve

  • Cursos que você não fez ou que não tem relação com seu objetivo profissional;
  • A participação em workshops e palestras deve ser colocada em uma seção à parte ou em Outras Qualificações.

Opcional

  • Resumir aprendizados essenciais para a vaga ou área pretendida.

OUTRAS QUALIFICAÇÕES

 O que pode constar

  • Idiomas, certificados de proficiência e intercâmbios culturais;
  • Nome, data e local de workshops e palestras da área que participou;
  • Experiências internacionais relevantes;
  • Artigos publicados, citando meios, fontes ou links;
  • Premiações ou outros reconhecimentos recebidos relevantes para o cargo.

O que não deve

  • Idiomas em que você não tem fluência;
  • Contatos de referências profissionais;
  • Citar viagens de férias como experiências internacionais.

MAIS ALGUMAS DICAS:

  • Não vale a pena mentir. As informações registradas no currículo hora ou outra acabam sendo comprovadas.
  • Lembre-se de ser objetivo e coerente, aproveitando as palavras-chave planejadas lá no início.
  • Evite usar muitos adjetivos. Foque no que você fez, no que aprendeu e nos resultados.
  • Para algumas áreas e cargos pode ser interessante acrescentar, antes do histórico profissional, um resumo breve (até 10 linhas) das suas qualificações e habilidades em destaque (apenas o que for relevante para o caso).

Conheça a Escola do Trabalhador.

5 – A revisão é fundamental!

Você não precisa ser um especialista na língua portuguesa (pelo menos, na maioria das profissões), mas é bom evitar o máximo de erros possível. Então, leia e releia o que está escrevendo. Aproveite o corretor dos programas de texto, mas não confie 100% nele. Se necessário, peça a um amigo de confiança para dar uma olhada no seu CV e ver se descobre algum errinho que você deixou passar.

Também não é recomendável tentar usar um vocabulário que você não domina ou incluir palavras rebuscadas para tentar impressionar. Prefira usar uma linguagem formal, mas sem exageros. Lembre-se que você precisa ser claro e objetivo para ser entendido facilmente.

Agora, releia seu currículo novamente. Esta é a hora de você se autocriticar, rever tudo e fazer os ajustes necessários para deixar seu currículo mais preciso, objetivo e atraente.

  • Confira seus dados;
  • verifique se todas as informações são confiáveis,
  • se constam as suas experiências e formações relevantes para o cargo,
  • se estão claras as suas qualificações e/ou os resultados já alcançados,
  • se não está muito autoelogioso (para vender-se, mais vale dizer o que você já fez de bom do que dizer que você é o melhor);
  • depois, releia tudo de novo conferindo nomes, siglas, datas e erros de português.

6 – Currículo na mão e mãos à obra.

Com seu currículo pronto, vá à luta. Envie-o em formato digital para empresas que fazem recrutamento online. Imprima algumas cópias e leve pessoalmente, quando for possível, até empresas em que tenha maior interesse. Não tenha vergonha de bater na porta, de tentar contatos nem de apresentar-se. Demonstre sua proatividade já na hora de buscar emprego.

E não esqueça de fazer os ajustes necessários em seu currículo, conforme o caso – mudando o objetivo profissional em concordância com a vaga pretendida, por exemplo, adicionando ou excluindo informações de experiências e cursos de acordo com o cargo ou área, etc.

Fonte: O Seu Dinheiro Vale Mais

 

Procure hoje mesmo sua agência do Sicoob Credpit e informe-se para aproveitar esses benefícios e investir em seu futuro profissional.

Blog Sicoob Credpit

Postado por Blog Sicoob Credpit

Este blog é um canal de comunicação oficial do Sicoob Credpit - www.sicoobcredpit.com.br

Envie uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *