Confira o que fazer para se prevenir de golpes e fraudes e manter seu bolso protegido.

 

Quer saber como não cair em golpes financeiros? Hoje em dia, com tantas transações online, é fácil cair em armadilhas. Mas não se preocupe! Estamos aqui para ajudar você. Neste post, vamos mostrar dicas simples e práticas para você manter seu dinheiro seguro.

Você vai ver como não é preciso fazer muito esforço para blindar suas finanças contra essas armações. Acompanhe o post e anote nossas dicas!

1. Use a desconfiança como sua aliada

No mundo das finanças, um pouco de ceticismo é o seu melhor amigo. Imagine-se navegando pela internet ou recebendo uma oferta por telefone. Antes de aceitar qualquer proposta ou clicar em um link, faça uma pausa e pergunte a si mesmo: “Isso parece bom demais para ser verdade?” Se a resposta for sim, provavelmente há algo errado.

Um exemplo clássico é receber um e-mail prometendo grandes retornos financeiros com pouco ou nenhum esforço. Na prática, evite agir por impulso. Então, sempre que receber uma oferta financeira, seja via e-mail, telefone ou mensagem, reserve um tempo para pesquisar e refletir.

2. Conheça os principais golpes financeiros

Há vário tipos de golpes, que variam desde mensagens de texto e e-mails fraudulentos, solicitando informações pessoais, até sites falsos que imitam instituições financeiras legítimas. Por exemplo, um golpe comum é o “phishing”, que você recebe um e-mail que parece ser de sua instituição financeira, pedindo para atualizar seus dados.

Outra fraude frequente são as ofertas de investimento com retornos altíssimos em pouco tempo. Lembre-se: se algo soa muito vantajoso, é hora de acender o alerta. Por isso, mantenha-se sempre informado sobre novos golpes lendo notícias de fontes.

3. Não passe seus dados sem verificar a fonte

Compartilhar informações pessoais e financeiras requer cautela. Por isso, antes de fornecer qualquer dado, seja em um site, por e-mail ou telefone, certifique-se da legitimidade da fonte. Por exemplo, se receber um e-mail supostamente da sua instituição financeira solicitando informações, não responda imediatamente.

Primeiro, verifique o endereço de e-mail do remetente. Muitas vezes, golpistas usam endereços que se assemelham ao oficial, mas com pequenas diferenças. Em caso de dúvida, entre em contato direto com a instituição através dos canais oficiais para confirmar a solicitação.

4. Acompanhe seus extratos

Manter um olhar atento sobre seus extratos bancários é mais fácil do que nunca, graças à tecnologia. Com os aplicativos de instituições financeiras, verificar suas transações tornou-se uma tarefa rápida e acessível. Ao dedicar alguns minutos diariamente para conferir seu extrato pelo app, você pode identificar rapidamente qualquer atividade suspeita ou não autorizada.

Por exemplo, pequenas cobranças não reconhecidas podem ser sinais iniciais de fraude. Além disso, acompanhar regularmente suas entradas e saídas financeiras ajuda a manter um controle efetivo sobre suas finanças, evitando surpresas desagradáveis.

5. Não tome decisões precipitadas

Na hora de gerenciar suas finanças, a paciência é uma virtude. Evite tomar decisões apressadas, especialmente quando se trata de oportunidades que parecem muito vantajosas. Se alguém lhe oferecer um investimento com retornos altíssimos e rápidos, por exemplo, é um sinal claro para acionar o freio.

Essas ofertas, frequentemente, são iscas para golpes. Então, antes de se comprometer com qualquer investimento, transação ou oferta, reserve um tempo para pesquisa e reflexão. Consulte especialistas financeiros, leia avaliações e busque a opinião de pessoas de confiança.

6. Fique de olho no cadeado

Um detalhe simples, mas essencial para a sua segurança online, é verificar a presença do ícone de cadeado nos sites que você visita, especialmente ao realizar transações financeiras ou inserir dados pessoais.

Esse cadeado, localizado na barra de endereço do navegador, indica que a conexão é segura e criptografada, protegendo as informações que você envia ou recebe do site.

Quando o cadeado está ausente ou se há um aviso de “não seguro”, isso pode ser um sinal de que o site não é confiável. Além disso, sempre confira se o endereço do site começa com “https://” – o “s” no final significa “seguro”.

7. Fique atento aos boletos falsos

Golpistas habilmente criam boletos que parecem legítimos, mas que direcionam o pagamento para contas fraudulentas. Para se proteger, sempre confira os detalhes do documento com atenção redobrada.

Ou seja, verifique se o nome do beneficiário e os dados bancários correspondem à empresa ou serviço que você pretende pagar. Além disso, desconfie de boletos recebidos por e-mail ou mensagem, principalmente se não estiver esperando por eles. Uma dica valiosa é acessar diretamente o site oficial da empresa ou entrar em contato para confirmar a autenticidade da cobrança.

8. Mantenha seus apps atualizados

Manter os aplicativos do seu smartphone, especialmente aqueles de instituições financeiras, atualizados é vital para a segurança de suas informações financeiras. As atualizações frequentemente incluem melhorias de segurança que protegem contra novos tipos de ataques cibernéticos e vulnerabilidades.

Por exemplo, um app bancário desatualizado pode ser mais suscetível a invasões ou fraudes. Portanto, habilite as atualizações automáticas em seu dispositivo ou verifique regularmente a disponibilidade de novas versões. Outro ponto importante é baixar baixe apps somente de fontes confiáveis, como Google Play Store ou Apple App Store, e evite instalar programas de fontes desconhecidas.

9. Prefira usar o cartão virtual

Optar por um cartão virtual é uma estratégia eficaz para aumentar a segurança das suas transações online. Ao contrário dos cartões físicos, os virtuais são gerados digitalmente e muitas vezes são de uso único ou têm um curto período de validade. Isso significa que, mesmo se os dados do cartão forem interceptados ou vazarem durante uma compra online, eles não poderão ser usados novamente, minimizando o risco de fraudes.

Além do mais, você pode estabelecer limites de gastos específicos, tendo um controle mais rigoroso sobre suas finanças. Muitas instituições financeiras já disponibilizam essa opção através de seus apps, tornando sua adoção prática e acessível.

10. Proteja sua rede de internet

Uma rede desprotegida é um convite aberto para cibercriminosos acessarem suas informações pessoais e financeiras. Para evitar que isso aconteça, sempre use uma senha forte e única para o seu Wi-Fi, evitando combinações óbvias que podem ser facilmente adivinhadas, como datas de nascimento ou sequências simples.

Também considere o uso de uma VPN (Rede Privada Virtual) para criptografar sua conexão de internet, especialmente ao realizar transações financeiras em redes públicas. Isso ajuda a proteger seus dados contra interceptações não autorizadas.

11. Utilize a autenticação de dois fatores

A autenticação de dois fatores (2FA) é uma camada adicional de segurança que todos deveriam utilizar, especialmente em contas financeiras. Esse método exige não apenas a senha, mas também um segundo fator — geralmente um código enviado ao seu celular ou gerado por um aplicativo de autenticação.

Por exemplo, ao acessar sua conta bancária, depois de inserir sua senha, você precisaria inserir um código que só você pode receber ou gerar. Isso torna muito mais difícil para alguém acessar sua conta, mesmo que consigam descobrir sua senha.

A ativação da 2FA pode ser feita nas configurações de segurança da maioria das contas online. Embora possa parecer um passo extra, a proteção adicional que oferece à sua segurança financeira é inestimável.

12. Confira a autenticidade de contatos telefônicos

Ser cauteloso com ligações recebidas, especialmente aquelas que solicitam informações pessoais ou financeiras, é de extrema importância para evitar golpes. Isso porque golpistas frequentemente se passam por representantes de instituições confiáveis para extrair dados.

Então, se você receber uma chamada solicitando informações sensíveis, não forneça nada imediatamente. Em vez disso, encerre a chamada e entre em contato diretamente com a instituição através de um número de telefone confiável — você pode encontrá-lo no site oficial ou em documentos oficiais. Além disso, nunca pressione botões durante uma chamada suspeita, pois isso pode levar a mais fraudes ou cobranças.

Lembrando que instituições financeiras legítimas nunca solicitam senhas ou PINs por telefone.

13. Desconfie de pedidos urgentes de PIX

Ao receber mensagens ou ligações alegando sequestro de um familiar ou pedindo transferências urgentes via PIX, mantenha a calma e verifique a veracidade. Golpistas usam o pânico para pressionar por pagamentos rápidos.

Primeiro, tente contatar o familiar supostamente em perigo. Desconfie de números desconhecidos e nunca compartilhe seus dados pessoais. Esses golpes exploram a urgência e o medo, mas uma checagem rápida pode evitar prejuízos financeiros e emocionais.

Com essas dicas, agora você já sabe bem como não cair em golpes financeiros. Então, coloque-as em prática hoje mesmo e mantenha seu dinheiro a salvo e preserve a sua tranquilidade.

Quer mais dicas financeiras? Assine a nossa newsletter e receba os melhores conteúdos direto em sua caixa de entrada!

Gostou dessa dica? Cooperação começa por aqui, compartilhe esse conhecimento.

Fonte: O Seu Dinheiro Vale Mais

 

Avatar photo

Postado por Blog Sicoob Credpit

Este blog é um canal de comunicação oficial do Sicoob Credpit - www.sicoobcredpit.com.br