O que é MEI? Como funciona essa modalidade e como ela fará você economizar com sua empresa? Descubra a seguir.

 

O que é MEI? Você já ouviu falar em microempreendedor individual? O MEI é uma modalidade de empresa em que o empreendedor se cadastra e obtém um CNPJ, saindo da informalidade e podendo, inclusive, emitir notas fiscais.

A vantagem dessa modalidade é que ela possibilita crescimento aos pequenos, pois º pagamento do imposto é simplificado e os valores variam de R$51,95 a R$57,95. Estando com o pagamento em dia, o empreendedor tem direito à salário maternidade, auxílio doença e aposentadoria por idade ou invalidez.

Vantagens financeiras

“Ter um CNPJ também permite a realização de compras com desconto de atacado, o que reduz custos com fornecedor, além da contratação de produtos e serviços bancários específicos para empresas”, explica Marcela Kawauti, economista-chefe do SPC Brasil.

“Assim, o empreendedor pode tomar crédito e estar corretamente representado diante do mundo financeiro. Com a MEI, é possível acessar diferentes modalidades de crédito eventualmente oferecidas pelo mercado, dando a opção de escolha dentro de seu planejamento e objetivos”, completa Kawauti.

O acesso ao crédito e a outras vantagens é facilitado para quem tem o nome limpo. Você pode monitorar seu CPF pelo SPC Avisa e também consultar CPF de terceiros.

Devido a essas possibilidades, hoje, os CNPJs correspondentes a MEIs são uns dos que mais crescem em todo o Brasil.

Categorias

Agora que você já sabe o que é MEI, é hora de conhecer as categorias que se enquadram nesse tipo de empresa. São mais de 400 atividades, que vão desde jardineiros, gesseiros, artesãos, comerciantes, cabeleireiros, algumas categorias de professores e muitas outras profissões autônomas. Veja aqui.

“Desde que mantenham faturamento anual de até R$ 81 mil (ou R$ 6.750 mensais) e possuam, no máximo, um funcionário, os empreendedores que exercem essas atividades permitidas podem se enquadrar como MEI”, explica a economista.

Como se cadastrar?

Basta fazer o cadastro no Portal do Empreendedor e seguir as instruções posteriores. Serão necessários RG, CPF, comprovante de endereço da empresa e da residência, título de eleitor, imposto de renda da pessoa física (dos últimos 2 anos, se declarados) e, por fim, consulta prévia de localização aprovada, caso o município exija.

Para ser aceito na categoria, é preciso seguir alguns critérios. Por exemplo, a MEI deve ser a única empresa vinculada ao seu CPF. Servidores públicos, pensionistas e estrangeiros não dotados de visto permanente não são aceitos.

É hora de crescer!

Para tirar sua empresa do papel, é preciso se formalizar. O MEI pode ser a porta de entrada para isso, mas o empreendedor não deve se sabotar e evitar crescer apenas para se manter na categoria.

Caso o faturamento suba, é necessário migrar de MEI para ME (Microempresa) ou EPP (Empresa de Pequeno Porte).

O MEI pode contratar um funcionário apenas, devendo arcar com as despesas de contratação, assim como com os direitos trabalhistas – FGTS, INSS e 13º salário. Caso necessite de um quadro maior de trabalhadores, é necessário se enquadrar em outra categoria empresarial.

Agora que você já sabe o que é MEI e quais são as vantagens financeiras de se enquadrar nessa modalidade, saia da informalidade e cresça com sua empresa!

Fonte: Meu Bolso Feliz

 

Blog Sicoob Credpit

Postado por Blog Sicoob Credpit

Este blog é um canal de comunicação oficial do Sicoob Credpit - www.sicoobcredpit.com.br

Envie uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *