A preocupação das empresas com seus colaboradores se manifesta por meio de uma rede de benefícios que atendem às necessidades deles.

Dessa forma, a previdência privada aparece como uma solução para estimular a satisfação e o engajamento dos funcionários, fazendo com que se sintam membros de uma grande família.

Continue lendo e veja como a previdência privada gera bons resultados para a empresa, deixando os colaboradores mais satisfeitos!

O que é previdência privada?

previdência privada é um sistema de investimento voltado para a aposentadoria complementar, oferecido por seguradoras e instituições financeiras.

Diferente da previdência social (INSS), que é administrada pelo governo, a previdência privada permite que as pessoas façam contribuições voluntárias ao longo do tempo, visando acumular um patrimônio que será usado no futuro para complementar a renda na aposentadoria.

Basicamente, ela funciona da seguinte maneira: a pessoa faz contribuições periódicas ou únicas para uma instituição financeira, como um banco ou uma seguradora, que administra o dinheiro e o investe em diferentes tipos de ativos, como ações, títulos e fundos de investimento.

O objetivo da previdência privada é acumular um montante de dinheiro ao longo dos anos para garantir uma renda extra na aposentadoria ou para outros objetivos financeiros, como pagar a faculdade dos filhos, comprar uma casa ou fazer uma viagem.

É importante destacar que a previdência privada não é obrigatória, sendo uma opção que cada pessoa pode escolher de acordo com suas necessidades e objetivos financeiros.

Antes de contratar um plano, é recomendável analisar as taxas cobradas, a rentabilidade histórica do fundo e as condições contratuais. Além disso, é sempre bom contar com o auxílio de um profissional devidamente qualificado para orientar sobre as melhores opções de investimento.

Quais são os tipos de previdência privada?

Existem dois tipos principais de previdência privada: o Plano Gerador de Benefício Livre (PGBL) e o Vida Gerador de Benefício Livre (VGBL).

A principal diferença entre eles está na forma de tributação. No PGBL, é possível deduzir as contribuições da base de cálculo do Imposto de Renda até um limite específico. É indicado para quem usa a declaração completa do Imposto de Renda.

Já no VGBL, não há essa dedução, mas a pessoa não precisa pagar imposto sobre os rendimentos acumulados no momento do resgate. É recomendado para quem usa o modelo simplificado de declaração do Imposto de Renda.

Quais são as vantagens da previdência privada para a pessoa jurídica?

É importante ressaltar que as vantagens específicas podem variar de acordo com o plano de previdência privada escolhido e as políticas internas da empresa.

Podemos apresentar diferentes vantagens que a previdência privada oferece às empresas. Entre as de maior destaque, vamos falar de:

Retenção de talentos

A oferta de previdência privada como benefício aos colaboradores é uma forma de atrair e reter talentos. Isso demonstra o comprometimento da empresa com o bem-estar financeiro e futuro dos seus funcionários.

Incentivo fiscal

As contribuições feitas pela empresa para a previdência privada dos seus colaboradores podem ser deduzidas do Imposto de Renda, o que representa uma economia para a empresa.

Flexibilidade nas contribuições

A empresa pode definir as regras de contribuição para a previdência privada, permitindo adaptar o plano às suas necessidades e possibilidades financeiras.

Planejamento sucessório

previdência privada também pode ser utilizada como uma estratégia de planejamento sucessório, permitindo que os colaboradores designem beneficiários para receberem os recursos acumulados em caso de falecimento.

Vantagem competitiva

Oferecer um plano de previdência privada pode ser um diferencial competitivo no mercado, ajudando a atrair e reter talentos em um cenário em que os benefícios oferecidos pelas empresas são cada vez mais valorizados pelos profissionais.

Quais são as vantagens da previdência privada para colaboradores?

As vantagens específicas para os colaboradores podem variar conforme o plano de previdência privada escolhido e as políticas internas da empresa. Vamos destacar as seguintes:

Segurança financeira na aposentadoria

previdência privada permite que os funcionários acumulem um patrimônio ao longo do tempo, proporcionando uma fonte adicional de renda na aposentadoria e garantindo maior segurança financeira no futuro.

Benefícios fiscais

As contribuições feitas pelos funcionários para a previdência privada podem ser deduzidas do Imposto de Renda, resultando em benefícios fiscais individuais.

Flexibilidade de contribuição

Os funcionários têm a opção de ajustar o valor das contribuições de acordo com suas possibilidades financeiras, permitindo um planejamento personalizado para atingir seus objetivos de aposentadoria.

Portabilidade

Em caso de mudança de emprego, os funcionários podem transferir o valor acumulado em sua previdência privada para outro plano, mantendo a continuidade de seus investimentos.

Planejamento familiar

previdência privada pode ser usada como uma estratégia de planejamento familiar, permitindo que os funcionários designem beneficiários para receberem os recursos acumulados em caso de falecimento.

Como implementar a previdência privada na sua empresa? Qual é o passo a passo?

Para implementar a previdência privada na empresa, é possível seguir alguns passos principais. Dividimos o processo de implementação em seis etapas:

1. Defina os objetivos

Determine quais são os objetivos da empresa ao oferecer um plano de previdência privada. Isso pode incluir atrair e reter talentos, promover a segurança financeira dos colaboradores e fortalecer a imagem da empresa.

2. Pesquise e escolha um provedor

Faça uma pesquisa de mercado para encontrar provedores de previdência privada confiáveis e que atendam às necessidades da empresa e dos seus colaboradores. Vale a pena considerar aspectos como custos, benefícios oferecidos, flexibilidade do plano e qualidade do atendimento ao cliente.

3. Defina as regras do plano

Em conjunto com o provedor escolhido, defina as regras do plano de previdência privada. Isso inclui aspectos como a porcentagem de contribuição da empresa e dos colaboradores, as opções de investimento disponíveis e os prazos para resgate e portabilidade.

4. Comunique os benefícios

O gestor deve informar seus colaboradores sobre a implementação do plano de previdência privada e os benefícios que ele oferece. É importante esclarecer sobre como o plano funciona, os benefícios fiscais, a flexibilidade de contribuição e a segurança financeira que ele proporciona.

5. Ofereça suporte e educação financeira

A empresa deve disponibilizar recursos e suporte para ajudar os colaboradores a entenderem melhor o funcionamento da previdência privada e a tomar decisões financeiras conscientes. Isso pode incluir palestras, workshops ou materiais educativos sobre planejamento financeiro e investimentos.

6. Acompanhe e atualize o plano

Outra etapa necessária é monitorar regularmente o desempenho do plano de previdência privada e fazer ajustes conforme necessário. O gestor deve se manter atualizado sobre as mudanças nas leis e regulamentações relacionadas à previdência privada e garantir que o plano esteja em conformidade.

Lembre-se de que é sempre importante contar com a orientação de profissionais especializados em previdência privada para auxiliar no processo de implementação e gestão do plano. Assim, você e seus funcionários poderão usufruir de todas as vantagens que a previdência privada oferece!

Aproveite para conhecer os planos de previdência privada que o Sicoob oferece aos seus clientes. Não perca a oportunidade de melhorar a política de benefícios dos funcionários e tornar seu negócio mais competitivo!

Gostou dessa dica? Cooperação começa por aqui, compartilhe esse conhecimento.

Fonte: O Seu Dinheiro Vale Mais

 

Clique na imagem abaixo e solicite uma proposta, sem compromisso.

 

Avatar photo

Postado por Blog Sicoob Credpit

Este blog é um canal de comunicação oficial do Sicoob Credpit - www.sicoobcredpit.com.br