Do uso do cartão para presentear até o controle de gastos na conta conjunta.

 

Quer comprar o presente de Dia dos Namorados no cartão e com mais segurança? Ou desta vez a ideia é expressar o seu amor só com um cartãozinho e uma bela mensagem? Ou, quem sabe, vocês estejam planejando juntar as escovas de dente e as contas bancárias. Neste caso, quem paga a fatura? Para responder a questões como essas, nós reunimos aqui algumas dicas financeiras para casais, relacionadas com o cartão de crédito e outros tipos de cartões.

Confira:

O cartão virtual e os presentes

Se você ainda não comprou o presente do Dia dos Namorados, a primeira dica que nós temos é: considerar o uso de um cartão virtual. Você já experimentou esse método de pagamento? Sabia que ele pode ser muito útil para garantir mais segurança nas compras online?

Aliás, fazer compras utilizando o cartão de crédito (físico ou virtual) também pode contribuir com alguns planos do casal, como veremos no último tópico deste artigo.

Por outro lado, é bem verdade que o sentimento não está no valor dos presentes. Por isso, a gente deixa aqui também 12 dicas de presentes e programas mais baratos para o Dia dos Namorados.

Agora, se você quer saber como administrar esses e outros gastos, sem estourar o limite do cartão e com mais harmonia financeira na vida a dois, siga acompanhando:

Quem paga a fatura?

Uma das principais dúvidas que costumam surgir entre casais é: quem paga o quê? Nesse caso (como em muitos outros da vida a dois), a melhor solução é conversar sobre o tema para chegar a um consenso.

Aliás, conversar é uma das principais dicas financeiras para casais. E é também a melhor forma de conhecer um ao outro – incluindo o nível de ganhos e o perfil de gastos de cada um –, de ajustar padrões e expectativas.

Em todo caso, pode-se dizer que, se os dois têm rendas similares, nada mais justo do que dividir as contas que forem feitas em conjunto. Ainda assim, é natural que cada casal tenha seu próprio acordo.

O baiano Vinícius Nascimento – namorado de Franciele Luz –, por exemplo, comenta: “A gente é bem honesto um com o outro. Quando os dois podem pagar, os dois dividem. Quando só um pode pagar, a gente se acerta depois.”

Outra possibilidade interessante a se considerar – no caso de que os dois não tenham rendas similares – é dividir os gastos conjuntos de maneira proporcional ao ganho de cada um.

Exemplo: digamos que um dos dois ganhe R$ 2 mil e o outro, R$ 1 mil. Suponhamos ainda que as contas comuns somem R$ 1,5 mil. Nesse caso, como o primeiro ganha o dobro do segundo, ele contribuiria com R$ 1 mil e o outro, com R$ 500.

Conta conjunta e cartões: os limites de cada um

Abrir uma conta conjunta pode ter algumas vantagens, principalmente, para casais que moram juntos e costumam dividir as despesas comuns, como aluguel, água, luz, etc.

Nesse caso, a mais indicada é a conta conjunta do tipo solidária, em que qualquer um dos titulares pode realizar transações financeiras individualmente (não precisa da autorização do outro).

Só que, é preciso ter atenção ao tema, já que, com uma conta assim, o dinheiro é oficialmente considerado de ambos, mas cada um tem o seu próprio cartão de crédito.

Nesse sentido, é importante que o casal esteja ciente de quem é mais ou menos controlado com os gastos, para verificar se é necessário adicionar um limite de crédito/utilização àquele que é mais descontrolado.

De qualquer modo, outra das interessantes dicas financeiras para casais é considerar, além da conta conjunta, manter as contas pessoais de cada um. Os dois podem combinar de depositar certa quantia por mês na conta conjunta – para as despesas em comum – e manter certo valor em suas próprias contas para gastos individuais. Assim, pode ser mais fácil administrar melhor os gastos feitos em conjunto e em separado.

Cartões e planos

Quando utilizado com consciência, o cartão de crédito pode ter muitas vantagens; pode, inclusive, contribuir para realizar alguns planos do casal, como mobiliar a casa ou viajar juntos, por exemplo.

Isso porque muitos cartões de crédito oferecem programas de pontuação, para acúmulo de milhas e/ou troca por produtos e serviços. E em alguns casos, esses programas podem ser ainda mais vantajosos.

Um bom exemplo disso é o Coopera – programa de pontuação de quem utiliza o Sicoobcard, o cartão dos associados ao sistema de cooperativas financeiras Sicoob – que permite aproveitar todos os benefícios do Shopping Virtual Coopera, trocando pontos por produtos do marketplace ou ainda: trocá-los por produtos do Sicoob, transferi-los para programas de milhas aéreas (como Tudo Azul, Smiles e Latam Pass) ou para outra pessoa.

Vale esclarecer que o Shopping Virtual Coopera é acessível para qualquer pessoa, possibilitando adquirir produtos por meio de pontos, em dinheiro ou somando pontos com dinheiro. Só que, quem é associado e junta pontos com o Sicoobcard tem ainda mais vantagens.

Gostou dessa dica? Cooperação começa por aqui, compartilhe esse conhecimento.

Fonte: O Seu Dinheiro Vale Mais

 

 

Blog Sicoob Credpit

Postado por Blog Sicoob Credpit

Este blog é um canal de comunicação oficial do Sicoob Credpit - www.sicoobcredpit.com.br

Envie uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *