Se antes da pandemia as boas práticas de gestão já eram importantes, agora elas são essenciais para manter a saúde financeira das empresas em geral.

 

A pandemia da COVID-19 mexeu com a economia mundial e, por isso, qualquer empresário pode ser afetado. Assim, com a necessidade de isolamento social, as vendas despencaram. E a dúvida que fica é: como o mercado se comportará nos próximos meses? Nessa hora, ter boas práticas de gestão é a principal arma dos empreendedores. Assim, profissionais preparados para enfrentar os novos tempos ficarão em evidência.

Com as portas fechadas, os varejistas tiveram que se reinventar, adotando o delivery e o voucher. Muitas empresas recorreram ao crédito bancário e à portaria emergencial do Governo Federal para flexibilizar os contratos de trabalho. O adiamento do pagamento de impostos foi outro alento.

Sendo assim, o que se pergunta ao olhar para a economia brasileira é: quando o setor produtivo voltará aos eixos? Como será o perfil do líder nesse “novo normal”? Quais serão as estratégias de gestão e marketing?

Para refletir sobre esse tema, professoras do Centro Universitário Una falaram do novo cenário. Então, confira neste conteúdo as principais dicas para os gestores.

“A adaptabilidade será fundamental”, afirma especialista

A especialista em Gestão de Pessoas e Desenvolvimento Organizacional, e professora do Centro Universitário Una Contagem, Elaine Andrade Santos, lembra que o cenário econômico exige uma liderança mais humanizada, além de capacidade de adaptação ao novo consumidor.

“É preciso entender a mudança, as bases que respondiam os problemas há alguns meses atrás já não são referências no agora e principalmente no depois. A adaptabilidade será fundamental, isso porque a pós-pandemia nos exigirá novos comportamentos. Às empresas será necessário entender o comportamento do ‘novo consumidor’, visando atender suas necessidades e novas expectativas”, analisa.

Essas mudanças exigem novas soft skills (habilidades comportamentais) dos profissionais. A habilidade digital é uma delas. Além disso, as habilidades socioemocionais também serão fundamentais. “Diante de tantas incertezas, que geram inseguranças, as habilidades socioemocionais vão permitir que os indivíduos lidem melhor consigo mesmo e com o contexto que o demanda, sendo necessárias, inclusive para construirmos e ressignificarmos nossa trajetória profissional”, diz.

Já os líderes deverão aprimorar suas habilidades socioemocionais, sendo mais claros e transmitindo mais segurança. “Daqui em diante os líderes terão de ser sim mais ‘humanizados’, o que quer dizer ter clareza do propósito da organização e conseguir estabelecer essa conexão com os seus liderados”, comenta Elaine Santos.

“Reestruture, revisite seus processos, reavalie seu negócio”, analisa professora

Para enfrentar o novo momento, a especialista em Finanças e professora da Una, Vaníria Ferrari Pinheiro Chaves, frisa que é preciso uma mudança de percepção. “Temos um novo empreendedor, um novo mercado, um novo consumidor. E para enfrentar esse momento e o novo mercado que surgirá pós-COVID-19, a palavra chave é REFRAME. Ou seja, reestruture, revisite seus processos, reavalie seu negócio. Só assim você conseguirá reorganizar sua empresa sob os dois pilares de sustentação: reduzir custos e manter (ou crescer) receita”, aponta Vaníria.

Mas para isso acontecer, a especialista estabelece uma caminhada. “Primeiro passo: conheça profundamente seu cliente, quem é, como ele percebe seu produto e como chegar até ele. O mercado mudou, hoje a empresa deve ir até o cliente. E como? Qual a melhor forma de atingir seu cliente? Qual a percepção que ele tem do seu produto ou serviço? O que te diferencia dos concorrentes? Segundo passo: revisite seus processos, avalie o que pode ser reduzido, mudado ou eliminado. Terceiro passo: reclassifique seus gastos. Categorize entre gastos fixos e variáveis. Reduza ao máximo os gastos variáveis”, enumera.

Nesse sentido, Vaníria também pontua que este é o momento de renegociar dívidas, além de buscar mais informações sobre as medidas do Governo Federal (MPs 936, 944 e 927).

A dica final da professora da Una é: “reinvente, inove, mude seus padrões, crie marketing digital, vá até seu cliente, agregue valor ao seu produto ou serviço. O momento não é de pânico, é de REFRAME. O mundo não será o mesmo, o mercado não será o mesmo, e sua empresa também precisa mudar!”, finaliza.

É preciso “construir uma marca forte digitalmente”

Ainda nessa linha, o marketing continuará tendo seu peso no mundo corporativo. Conforme a professora de Gestão de Marketing e Inteligência de Mercado do MBA da Una, além de consultora de Marketing Digital, Rachel Patrocínio, é importante que as empresas reforcem a presença digital. “A tecnologia é um caminho sem volta. Construir uma marca forte digitalmente, buscando se relacionar em diversos canais com o mercado e consumidores, é a melhor estratégia para potencializar as vendas”, sugere.

Em época de crise, muitos empresários acabam cortando o marketing. Porém, a gestão de marketing permite que o empreendedor entenda melhor as necessidades do seu consumidor e se adapte para atingi-lo.

“Esse tipo de gestão compreende melhor os processos da empresa, seja na venda de um produto ou na prestação de serviços. A visão integrada do negócio em si abre os olhos da empresa para formas de surpreender os consumidores e atuar com ações estratégicas para fortalecimento da marca”, ressalta.

Sendo assim, a professora Rachel lembra que as empresas devem investir em ferramentas digitais, como as redes sociais. Isso porque, apesar do site continuar sendo um canal importante, as redes sociais criam vínculos entre marcas e pessoas, alimentando assim a confiança no consumidor.

Novo mercado vai exigir profissionais mais qualificados
Em cenário de crise econômica, as empresas vão exigir profissionais mais preparados para a tomada de decisões e para a execução de multitarefas.

Com o propósito firme nessa tendência, o Centro Universitário Una, que integra o Ecossistema Ânima de Educação, investe em laboratórios de ponta, corpo docente qualificado e projeto acadêmico diferenciado.

Dentre os 70 cursos de graduação e 40 de pós-graduação, as áreas do conhecimento que estão diretamente envolvidas com o setor econômico são Administração, Ciências Contábeis, Ciências Econômicas, Gestão, Logística, Marketing e Processos Gerenciais.

Veja alguns detalhes dos cursos na sequência:

  • Administração: o curso forma profissionais responsáveis pelo planejamento e gerenciamento. O aluno recebe uma base sólida nas áreas de finanças, marketing e operacional, capacidade de liderança, empatia, ousadia e visão de futuro.
  • Ciências Contábeis: na graduação, o aluno terá contato intenso com disciplinas como Matemática, Economia, Análise de Custos, Operações Financeiras, Administração, Direito Tributário e Estatística, além de formação humanística.
  • Ciências Econômicas: o curso capacita os alunos profissionalmente para compreender o ambiente socioeconômico de uma organização, seja ela privada, pública ou do terceiro setor, além das macro dimensões que envolvem o contexto econômico de uma região ou país.
  • Gestão Comercial: o mercado pós-pandemia vai selecionar os melhores. Portanto, o curso forma pessoas com potencial competitivo, aptas para criar modelos gerenciais e definir estratégias de vendas.
  • Gestão Financeira: o curso tem o objetivo de formar a consciência crítica e a capacidade analítica dos alunos, para que percebam situações de risco, como a atual pandemia, e proponham soluções.
  • Gestão de Recursos Humanos: visa atualizar e capacitar profissionais com uma visão integrada e estratégica da gestão de pessoas.
  • Logística: o curso visa atualizar e capacitar profissionais da área com uma visão sistêmica e integrada dos processos logísticos e de cadeia de suprimentos nas organizações públicas, privadas ou do terceiro setor.
  • Marketing: a graduação capacita os alunos para planejar e executar estratégias alinhadas com o que as organizações desejam atingir para conquistar seus públicos.
  • Processos gerenciais: já que profissionais capazes de criar processos que aprimorem a gestão nas empresas têm sido cada vez mais valorizados, ainda mais em momento de crise, o curso forma integralmente os alunos para serem demandados no novo cenário.

Os docentes destacam que, por meio do projeto institucional e acadêmico, os alunos conseguem ampliar o aprendizado teórico juntamente com a vivência prática da profissão desde os primeiros períodos dos cursos.

Junto a isso, a comunidade onde estão instaladas as 21 unidades da Una (em Minas Gerais e em Goiás) se beneficia com a oferta de serviços gratuitos e de qualidade.

Os cursos citados, bem como os demais da instituição, estão entre as graduações que alcançaram altas notas no IGC (Índice Geral de Cursos) do Ministério da Educação (MEC) e receberam 3 e 4 estrelas no Guia da Faculdade (do projeto Quero Educação com o jornal O Estado de São Paulo).

Blog Sicoob Credpit

Postado por Blog Sicoob Credpit

Este blog é um canal de comunicação oficial do Sicoob Credpit - www.sicoobcredpit.com.br

Envie uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *