Dicas para fazer do cartão uma ferramenta estratégica no controle das contas.

 

Como organizar as contas, controlar as finanças e economizar? Há quem responda a perguntas como essas recomendando restringir o uso do cartão de crédito. Contudo, o cartão é um método de pagamento muito útil e pode tornar-se, inclusive, um aliado do seu orçamento.Entre as vantagens do cartão de crédito, vale reconhecer, antes de tudo, que costuma ser uma opção mais segura do que andar com dinheiro vivo na carteira. Além de ser mais prático e evitar saques desnecessários. Parcelar compras, acumular milhas e obter descontos em produtos são outros benefícios de usar o cartão.

A questão é saber como usar esse meio de pagamento com mais consciência. Tendo atenção a alguns pontos, o cartão de crédito pode tornar-se uma ferramenta estratégica no controle das suas contas: um verdadeiro aliado do seu orçamento pessoal e familiar. Quer saber como? Acompanhe:

Você no controle

A praticidade é uma característica inquestionável do cartão. E você pode usar isso a favor do seu planejamento financeiro.

Afinal, quando você usa seu cartão, seus gastos já ficam registrados automaticamente. E em geral você pode ter acesso facilitado a essa informação, por meio do app da sua instituição financeira, do internet banking ou da fatura física do seu cartão de crédito.

Analisar seu extrato (no caso do uso do débito) e sua fatura (no caso do crédito) são ótimos exercícios para saber em que você gasta mais dinheiro, quais suas compras mais frequentes e até em que você poderia economizar.

Portanto, a primeira dica para tornar o cartão de crédito um aliado do seu orçamento é assumir o controle das suas contas. Aproveite que o próprio cartão já facilita essa tarefa e comece a acompanhar com mais frequência as suas despesas. Monitorando com mais atenção os seus gastos, você pode planejar-se melhor e ter uma vida financeira mais saudável.

Crédito ou débito?

Há quem use sempre o débito, para não se perder nas contas. Há quem use sempre o crédito, para acumular pontos e milhas. Só que, na verdade, de acordo com a situação, pode ser mais recomendável usar uma ou outra modalidade do cartão.

E também há casos em que é bom evitar o uso de uma dessas alternativas. Não é aconselhável, por exemplo, comprar medicamentos de uso contínuo no crédito, já que a compra é recorrente e a dívida pode acabar se acumulando. Por outro lado, o débito deve ser evitado (ou pelo menos usado com muita atenção) depois que o saldo da sua conta acabar (cheque especial).

Descubra quando usar cada modalidade do cartão para aproveitar melhor esse método de pagamento.

Limites personalizados

Qual o limite do seu cartão? Ou você tem vários cartões? Esse valor (ou a soma deles) é adequado aos seus ganhos? Você costuma contar com o limite do cartão como renda extra, para pagar despesas usuais? Para fazer melhor uso do seu cartão de crédito, é importante ficar atento a questões como essas.

Em primeiro lugar, para facilitar o controle de limites e gastos, o ideal é concentrar suas despesas em apenas um cartão. E a economista Marcela Kawauti, do SPC-Brasil alerta que usar o limite do cartão sempre que o salário acaba é perigoso “porque você compra além do que pode pagar”.

Além disso, antes de fazer um cartão de crédito, é bom considerar as diversas alternativas do mercado, já que, em alguns casos, você pode ter mais vantagens. Alguns cartões, por exemplo, tem seu controle financeiro facilitado pela própria instituição emissora.

Um bom exemplo é o Sicoobcard – cartão oferecido pelo maior sistema de cooperativas financeiras do país, o Sicoob – que inclui dois limites de crédito: um para compras à vista e outro para compras parceladas.

Dessa forma, se a pessoa faz uma compra de valor elevado, em prestações, seu limite do cartão de crédito para compras à vista não fica comprometido. Uma estratégia inteligente na hora de planejar suas contas.

Antes de parcelar, considere alternativas

Cada vez que você decide pagar algo em prestações, você cria uma dívida. Mas isso não quer dizer que você precisa pagar absolutamente tudo à vista. Algumas vezes, o parcelamento pode até ser uma estratégia de planejamento financeiro (se você investe seu dinheiro para render mais entre um prazo e outro de pagamento, por exemplo).

A questão é estar consciente de que a comodidade do parcelamento tem um preço: os juros; e de que é preciso planejar-se bem para quitar cada uma das prestações que você tem a pagar.

Agora, suponhamos que chegou a fatura do seu cartão; você levou um susto com o valor, decidiu pagar só o mínimo e entrou no rotativo. Seguindo as novas regras, no mês seguinte, a operadora ou a emissora do cartão te manda uma proposta de parcelamento do saldo devedor da sua fatura.

Nesse caso, é importante ficar atento aos juros do parcelamento do cartão de crédito. Apesar de serem menores do que os do rotativo, em geral, essas taxas continuam sendo elevadas, principalmente, se comparadas a outras modalidades de crédito.

Antes de optar por pagar em prestações o que você deve no cartão, é válido calcular se não compensa mais antecipar algum tipo de crédito a receber (como 13º salário, férias ou restituição do Imposto de Renda) ou solicitar um empréstimo pessoal ou crédito consignado para quitar a dívida com juros menores.

Viagens ao exterior

Em viagens internacionais, seja a passeio ou a negócios, o cartão de crédito também pode ser um aliado do seu orçamento. Nós, inclusive, já comentamos por aqui como controlar o cartão e viajar gastando menos.

Basicamente, vale destacar que:

  • Antes de viajar, é necessário liberar o cartão para uso internacional (no app ou no caixa eletrônico);
  • Se você tem um cartão múltiplo, é recomendável solicitar outro, apenas com a função de débito, se quiser usar essa modalidade em alguns países;
  • Independente da modalidade do cartão (crédito, débito ou pré-pago), o IOF para transações no exterior é de 6,38%;
  • Desde o início de março, segundo a nova regra anunciada pelo Banco Central (BC), para o cálculo do valor a ser pago em reais, tanto no débito quanto no crédito, vale a cotação do dólar do dia da compra (e não mais a cotação do dia de pagamento da fatura, como era antes).

Nesse aspecto, o Sicoobcard também chama a atenção, já que o Sicoob já adotava essa prática há anos. Marcos Chaves, superintendente de cartões da instituição, alerta ainda que, além de adotar a cotação do dia da compra, o Sicoob não cobra nenhuma taxa adicional“como é comum acontecer em outras instituições. Em média, os bancos cobram cerca de 4% de sobretaxa”, afirma Chaves.

“Como o foco do Sistema é no cooperado, nosso objetivo é sempre promover as melhores condições para a justiça financeira. Essa é uma ferramenta de gestão, que ajuda na escolha da aquisição e no controle do orçamento. Sem aflição e sem surpresas no recebimento da fatura”, completa o superintendente. Vale a pena considerar opções assim.

Aproveite outras vantagens do seu cartão

Para fazer o cartão de crédito funcionar realmente como um parceiro do seu bolso, você também pode aproveitar melhor as vantagens extras oferecidas por esse meio de pagamento.

O seu cartão possui sistema de pontos? Você costuma trocar seus pontos por descontos em produtos ou por milhas aéreas? Essa pode ser uma boa estratégia para economizar na compra de alguns itens. Mas é preciso ficar atento para fazer as trocas antes que os pontos expirem.

Reserve algum tempo por mês para estudar sua fatura: analise seus gastos e planeje melhor suas contas, verifique seus pontos e aproveite para economizar em passagens e produtos. Com controle frequente e uso consciente, o cartão de crédito pode ser um ótimo aliado do seu orçamento.

Gostou do artigo? Tem outras dicas ou comentários a compartilhar? Compartilhando e cooperando, a gente cresce!

Fonte: O Seu Dinheiro Vale Mais

 

Blog Sicoob Credpit

Postado por Blog Sicoob Credpit

Este blog é um canal de comunicação oficial do Sicoob Credpit - www.sicoobcredpit.com.br

Envie uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *