Ações da sociedade e das cooperativas para superar a crise.

 

Diante da atual crise socioeconômica provocada pela pandemia de coronavírus que atingiu todo o mundo, muita gente tem se questionado sobre as melhores práticas a adotar. Nesse contexto, a cooperação e o cooperativismo têm demonstrado que podem fazer a diferença, ajudando a todos a dar a volta por cima.

Corroborando tal afirmação, o chefe da unidade de pesquisa comportamental da Trinity College Dublin, Pete Lunn, comenta: “As crises obrigam as comunidades a se unirem e trabalharem mais como equipes, seja nos bairros, entre funcionários de empresas, seja o que for”.

De acordo, ainda, com a pesquisadora de comportamento e tendências Sabina Deweik: “O coronavírus trouxe para o contexto dos negócios e para o contexto pessoal a necessidade de revisitar as prioridades. O que antes em uma organização gerava resultados financeiros, persuadindo, incentivando o consumo, aumentando a produção e as vendas, hoje, não funciona mais. Hoje, faz-se necessário pensar no valor concedido às pessoas, no impacto ambiental, na geração de um impacto positivo na sociedade ou no engajamento como uma causa”.

Deweik conclui dita reflexão apontando ainda para uma possível solução: “Meu apelo para esse momento desafiador da humanidade é que possamos ter consciência que nossos recursos internos ou externos são ilimitados desde que saibamos mobilizá-los com sabedoria e respeito. E que todo e qualquer negócio vise o resultado desde que todos os envolvidos ganhem. Meu apelo é que estejamos abertos e receptivos a ideias que criem abundância e prosperidade, para si, para o outro e para o mundo”.

O cooperativismo aparece, então, como resposta ideal ao chamamento da pesquisadora, uma vez que a cooperação pode ser traduzida como a atuação em conjunto na busca por um objetivo comum com benefícios para todos, e o cooperativismo é exatamente o movimento socioeconômico que coloca em prática dito valor.

É por isso que o comportamento cooperativo costuma destacar-se em momentos de dificuldade, estimulando as pessoas a se juntarem para solucionar problemas comuns a todos. Afinal, a união faz a força. E, como afirma a fundadora da Comunidade Zen Budista do Brasil, monja Coen, “compartilhando e cooperando, a vida se torna mais leve e mais fácil, menos violenta e mais respeitosa”.

Quer alguns exemplos de atitudes cooperativas que têm ajudado as pessoas a superar a crise e combater seus efeitos? Confira:

Ações cooperativas da sociedade

“Se você é idoso e prefere evitar sair de casa, eu me disponho a ir ao mercado ou à farmácia para você”. Desde que tiveram início as medidas de confinamento, vários jovens brasileiros espalharam em seus edifícios e nas redes sociais mensagens como essa, demonstrando a vontade de colaborar com uma das partes da população mais sensíveis aos efeitos do novo vírus.

Mas não param por aí os exemplos de solidariedade e cooperação social para que todos possam juntos dar a volta por cima. Um dos casos divulgados pela mídia foi o de uma empresa, do sul de Santa Catarina, que doou mais de 20 mil máscaras para um hospital da região. Felizmente, outras corporações do país também tiveram atitudes semelhantes. Além disso, a imprensa também mostrou vários médicos e enfermeiros que se voluntariaram para trabalhar na linha de frente do atendimento aos atingidos.

O cientista político e economista Bruno Paes Manso comenta ainda sobre outra experiência exemplar: “Temos visto uma mobilização pelas redes sociais nas periferias e em favelas como Paraisópolis e Morro do Alemão, onde a população se articula para garantir a todos o acesso a produtos básicos, como sabonete e mantimentos. A solidariedade, esse fortalecimento de laços nas comunidades, é uma consequência positiva desse momento de crise”.

Ações de Cooperativas de Crédito

Tendo em vista que o cooperativismo é baseado justamente nessa união entre pessoas com objetivos comuns, com benefícios repartidos entre todos, vale a pena destacar também algumas ações de instituições cooperativistas que têm contribuído para superar a crise e seus efeitos.

Sabendo ainda dos intensos impactos econômicos ocasionados por essa situação, chamam a atenção, particularmente, as iniciativas das cooperativas financeiras (também chamadas de cooperativas de crédito), com o objetivo de honrar os seus propósitos e apoiar aos seus cooperados e a toda a comunidade.

É claro que cada instituição, central ou sistema de cooperativas adotou as medidas cabíveis e viáveis, dentro do seu contexto de atuação. Mas entre essas diversas ações, voltadas à preservação da saúde e da qualidade de vida de todos os colaboradores, cooperados, fornecedores e comunidades, alguns bons exemplos que podemos citar são:

  • a criação de linhas de crédito específicas para atender a cooperados afetados;
  • a prorrogação de prazos de operações de crédito já ativas;
  • a renovação automática de limites com taxas realmente favoráveis;
  • a aplicação de redutor nas taxas de administração de consórcio;
  • a elevação de margens para compras no cartão de crédito;
  • a redução de preços ou até a eliminação de algumas tarifas, envolvendo contas-corrente, cobrança bancária, adquirência/maquininhas de cartões;
  • o pagamento integral de benefícios por morte ou invalidez permanente por coronavírus;
  • a doação de recursos a instituições de saúde em inúmeras comunidades para colaborar com a ampliação de leitos e aquisição de materiais sanitários e testes.

Além disso, vale mencionar que o maior sistema de cooperativas financeiras do Brasil, o Sicoob, implantou o programa “Período Apoiador”, com abrangência nacional, orientando e estimulando as equipes das cooperativas a dedicarem uma atenção especialmente humanizada aos cooperados e às suas comunidades, principalmente, por meio:

  • da abordagem consciente, acolhedora e altruísta;
  • da oferta de soluções adequadas às necessidades dos cooperados e sob condições operacionais compatíveis com o momento;
  • de medidas de cidadania, com ênfase à proteção e inclusão sociais.

E tem mais! Confira a seguir outra ação do Sicoob que, além de facilitar a vida de seus cooperados, também ajuda a conter o avanço do novo vírus:

Uma nova comunidade digital cooperativa

Buscando inovar a cada dia e estar cada vez mais próximo de seus associados, o sistema líder em cooperativismo financeiro no Brasil lançou, em abril, o Sicoob Moob, um novo canal digital que incentiva a interação online entre o cooperado e sua cooperativa.

Incluindo funcionalidades diversas – como a transmissão de assembleias ao vivo com votações online; a disponibilização de dados, resultados e notícias de cada cooperativa do sistema; e a possibilidade de participação na Comunidade de Negócios e em cursos do Sicoob Universidade – o Sicoob Moob pode ser considerado uma verdadeira comunidade digital cooperativa.

Para participar é fácil: os cooperados só precisam baixar o aplicativo – disponível na Google Play e na AppStore – e entrar com os dados da sua conta.

O melhor é que, além de estar conectado com a evolução digital de toda a sociedade e de facilitar o dia a dia dos associados, esse novo canal ainda ajuda a superar a situação atual e dar a volta por cima.

Gostou do artigo? Tem outras dicas ou comentários a compartilhar? Compartilhando e cooperando, a gente cresce!

Fonte: O Seu Dinheiro Vale Mais

 

 

Blog Sicoob Credpit

Postado por Blog Sicoob Credpit

Este blog é um canal de comunicação oficial do Sicoob Credpit - www.sicoobcredpit.com.br

Envie uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *